domingo, 5 de fevereiro de 2012

Atirei me ao mar.

Conto as teclas. Conto os números, as letras, os símbolos, conto quantas combinações são possíveis.
Tem sido assim a minha busca por amontoados de palavras que expliquem ou expulsem de mim o que tenho vivido.
Não que tenha sido ruim. Mas precisa ser ejetado...
Meu corpo é um barco. Tem dias que ele acorda furado e entra muita água... o barco vira, seus tripulantes engolem muita água, os mapas se perdem, as lunetas, os tesouros, as sereias...
Vez ou outra o barco amanhece forte. A água das ondas não alcança as bordas e...
Também tem dias que o barco fica vazio... e dá pra ouvir a melancolia das ondas quebrando sozinhas.. levando-o para onde o olho não alcança... no coração do oceano.
Existe um tripulante no barco que eu vivo tentando proteger da fúria do mar.
Ele chegou a pouco tempo e não sabe lidar muito bem.. Não quero que ele vá embora, mas... com certa frequência seu olhar me questiona. Porquê tanta segurança? Assim ele se atira contra as ondas e sorri.
Sorri.
Um sorriso bonito, branco. Paz.
No meio do meu desespero em tentar colocá-lo de volta a bordo, lá está a paz. O branco, o vívido sorriso.



De repente muita água me invade a boca, tento abrir os olhos e as bolhas sobem todas correndo, saindo de mim. Vejo uma superfície azul se aproximar e aquele susto quando num beijo... ele me desafoga e me leva pra longe do mar.

6 comentários:

Simone Lima disse...

Giovanaa, eu amei. Sabe, me vi ali nas tuas linhas. Todas.
Post perfeito, perfeito**

Beijoo'os

http://flores-na-cabeca.blogspot.com

renata menezes disse...

respondendo: quando for a pessoa certa: 1º você vai saber; 2º ela não vai parar de te levar Halls.

A VIDA É UM ETERNO APRENDIZADO disse...

Olá!
Foi um grande prazer conhecer seu blog.Aproveito meu tempo para navegar e ler textos e poemas feitos por pessoas que gostam de escrever.
Que bom que você é uma delas.
Grande abraço
se cuida

Alinne Ferreira disse...

que lindo. que lindo... lindo!

SARA MALKOVIKING disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
SARA MALKOVIKING disse...

pra exorcizar, basta escrever...
ótimo texto.