quarta-feira, 18 de abril de 2012

Uma carta. Que precisa esperar um pequeno ser humano crescer e ser alfabetizado pra poder ser lida.

Querida Ariel.
Não me lembro o dia exato em que soube que sua mãe havia chegado na cidade.
Mas consigo me lembrar detalhadamente do dia em que começamos a tecer esse laço dourado que tem nos unido.
Era dia 20 de agosto de 2008. Havia uma festa muito grande naquela cidade, e durante essa festa, uma feira de bijuterias e roupas ficava montada na praça central. Sua mãe tinha o cabelo curto, desfiado, cor de rosa. Usava uma camisa de mangas compridas listrada de preto e branco.
Estávamos em um grupo enorme. Éramos todos amigos, nos divertíamos muito e nem fazíamos idéia de onde nossa vida podia nos levar.
Naquele dia eu me lembro de ter sorrido bastante, me lembro de correr muito da sua mãe porque estava com nojo, ela queria me beijar, [risos] Mas era só brincadeira. Corri tanto que deitei no chão, daí ela veio, com uma outra amiga também e me beijou e me fez cócegas, pulou em mim.. Foi um momento muito inocente e espontâneo.
Muita coisa aconteceu depois daquele dia. Aquele extenso grupo de amigos, infelizmente, se desfez, tínhamos caminhos diferentes que iam contra nossos planos de viajar para a praia ou de envelhecer todos juntos.
Sua mãe morou lá por cerca de 6 meses, depois não aguentou o marasmo do interior, e voltou para São Paulo.
Lembro dela ter falado sobre o seu pai em uma das vezes em que ela foi me visitar. Contou que tinha visto ele num show, bem rápido, e que estavam se falando por internet.
Como a vida dela era muito agitada, só conseguia saber de tudo direito quando ela me visitava.
E umas duas visitas depois, quando fui falar com ela pela internet, soube que ela estava em Brasília, namorando e morando com o seu pai.
Daí em diante, muito mais coisa aconteceu, mas daí são coisas, aventuras, noites, porres que sua mãe talvez lhe conte um dia, com os olhos brilhando de saudade daquele tempo..
Ela precisava voltar para São Paulo, para seu emprego, e sua casa. Seu pai foi junto. Mas ele já tinha outros filhos em Brasília, e 3 meses depois, precisou retornar. Entenda que seu pai e sua mãe são pessoas lindas, livres, inteligentes, e por isso, invejadas. As pessoas eram maldosas, queriam separá-los, e depois de muitas brigas por intrigas inventadas ou até mesmo o ciúme da sua mãe, eles terminaram.
Em maio de 2011 seu pai voltou para Brasília, dia 17 se não me engano.
Aproximadamente em 16 de setembro, sua mãe foi me visitar de novo, e tínhamos um campeonato de skate em Lorena pra ir.
Mais uma vez eu sentia meu amor por ela aumentando. Compramos comida, passamos frio juntas, acordamos cedo, tomamos sol e conversamos com os atletas de outras cidades, fizemos amizades, foi muito divertido. Mas notei que ela estava dormindo MUITO.
Quando voltamos de viagem, então ela me contou que estava grávida, mas não sabia de quanto tempo, cerca de 3 meses mais ou menos. A barriga nem aparecia muito. Fiquei chocada. Sua mãe sempre foi muito aventureira até demais, acho que me preocupei mais do que ela.
No começo, ela não sabia o que fazer, disse que quando você nascesse não ia saber cuidar, que não cuidava nem dela direito.
Eu e mais um monte de gente ficou morrendo de medo dela dar você pra outra pessoa criar, depois que nascesse.
Mas eu e todas essas pessoas pensamos com muito amor em vocês duas, sua mãe é alguém linda! Uma das pessoas mais lindas que eu já conheci. Tem uma energia poderosa, alegremente contagiante e cheia, cheeeia de amor. Então, nós tratamos de nos preocupar só com você, obrigando ela a ir no médico e tal. Tínhamos certeza de que quando você nascesse, no seu primeiro inspirar e exalar, ela te amaria como jamais amou outra pessoa.
Em novembro de 2011, pela primeira vez eu fui a São Paulo visitar sua mãe. Já dava pra notar a barriga, mas muita gente demorou muuuito pra perceber, e tiveram algumas, que se ela não contasse, não saberiam sozinhas.
Foram dias incríveis e muito importantes pra mim. Estar ao lado da sua mãe me fazia um bem que eu não encontro em nenhuma outra pessoa.
Assistimos a muitos shows, e mesmo com você dentro dela, ela dançou, cantou e pulou na multidão, suportando o seu peso e o dela.
Uma das cenas que me emocionou muito nesses dias, foi quando ela subiu no palco no meio de um show do Rancore, e ficou abraçada com o Teco, o vocalista, cantando e dançando no ritmo da música. A blusa dela era soltinha, e quando ela balançou, deu pra todo mundo ver que ela estava grávida.
Eu estava bem na beira do palco, e vi aquilo de um ângulo que me encheu os olhos d'água. Sua mãe é uma pessoa maravilhosa, Ariel. Me dá vontade de chorar.
Fique um mês quase morando com ela. Acordávamos cedo, conversávamos e dormíamos mais um pouco, depois tomávamos café e íamos pro estúdio onde ela trabalhava. Ela chorou muitas vezes, porque muitas pessoas iam lá pra vê-la e brigavam com ela por saber que não estava indo ao médico.
Lembro de uma senhora que chorou quando soube de você, porque ela, quando nova, tinha feito um aborto... Conheci muitas histórias que me fazem chorar, durante aquele mês.
Comíamos besteiras, muita pizza, muitos lanches e latas de brigadeiro pronto, porque dava menos trabalho.
E durante todas aquelas noites, sempre que eu dormia bem perto dela, sentia você chutando. Nunca fui muito sensível e  também nunca entendi porque as pessoas ficavam tão derretidas por crianças, mas você Ariel, eu fiz parte da sua história, eu assisti a barriga da sua mãe crescer, e me culpei muito por não ter estado do lado dela no dia do nascimento. Me emociono aqui ao pensar na sua vida, no quanto a sua mãe é linda, você não podia ter uma mãe melhor, bebezinha. Sei que as vezes ela vai ficar confusa, ela vai chorar e sentir medo, além de sermos muito parecidas, a conheço bem. Mas te peço que entenda, que seja paciente. Até agora só te vi por 3 fotos, e a terceira me fez chorar, já consigo sentir o amor e o jeito dos seus pais na sua feição.
Eles se amaram muito ! Muito mesmo. Não sei se eles ainda vão se amar quando você puder ler isto, mas tenha certeza de que esse amor existiu, e foi tão forte que Deus precisou te criar pra que aquele amor, a força dele, nunca fosse esquecido.
Olha, sua mãe é uma pessoa muito amada, por isso repito tanto que ela é linda e tem muito amor. Não há quem não se apaixone por ela.
Parei de dizer que ela é minha irma, ou minha mulher como costumava. Ela é muito mais do que isso. Tenho pela sua mãe um sentimento que transcende , vai muito além do que a gente pode sentir e do que eu possa descrever.
Olha, pra você, o tempo vai parecer passar mais devagar, mas fique tranquila, é o tempo necessário. E pra nós, vai voar ! E logo seremos velhos te ensinando coisas e te contando histórias da nossa juventude maluca.
Queria muito poder te ver abrir os olhos, Ariel, ver seus primeiros passos, suas primeiras palavras.. Talvez ainda dê tempo, talvez eu me mude praí no ano que vem. Caso não aconteça, segue anexo algumas instruções :
Observe tudo! Fotografe com seus olhinhos e guarde tudo na memória.
Aprenda a apreciar as coisas, não deixe de brincar com o brinquedo azul só porque te disseram que azul é de menino.
O mundo é lindo, tire suas próprias conclusões das coisas. Se alguém te disser que mamão é ruim, não concorde antes de provar, porque o paladar das pessoas é muito diferente, e talvez o seu paladar goste de mamão, mas se você se limitar ao que a outra pessoa disse, pode passar anos sem comer uma fruta que pode ser sua preferida, ou não. Experimente.
Ame muito. Ame a sua mãe, perdoe-a, console quando ela ficar triste, sorria pra ela.
Seja livre, viva do seu jeito.
Aaah, e saiba que você nasceu num momento espiritual muito bom. Muita música boa estava tocando enquanto você estava na barriga.
Você viu deve ter ouvido Forfun com a gente ! Também Rancore, Scracho e outros shows que sua mãe deve ter ido quando já tinha você.
Mesmo que ainda exista muita gente má, os amigos da sua mãe são todos de bom coração, tem tatuagens legais e alargadores grandes.
Está todo mundo ansioso pra te ver. Tenho vontade de te abraçar e te contar tudo logo, mas vai demorar pra você ler isso e entender, por isso vou guardar bem essa carta e se a força do cosmos te fizer encontrar essas palavras, Ariel, saiba que alguém ama muito você e sua mãe.
Abra logo os olhos !












Um comentário:

Alinne Ferreira disse...

uma palavra apenas pra essa carta: INCRÍVEL!